6 de Abril de 2024 | 09h00 – 12h00 & 13h30 – 16h30

6 horas

Online - Zoom

40€

Formação Acreditada pela Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Politécnico de Leiria

O brincar e o Exterior – dois planos que caminham de mãos dadas

Partindo do conhecimento das Ciências da Educação e da Psicologia da Infância, nesta formação procurarmos demonstrar a relevância da atividade (sobretudo lúdica) fora do espaço da sala de aula e, até, da Escola.

As saídas à rua, sobretudo nas mais tenras idades, contribuem para o desenvolvimento intelectual, mas também físico e emocional, não devendo, por maioria de razões, ser descoradas.

Desde o nascimento, a criança move-se, descobre, sente, experimenta e vive com outros, de modo que as suas experiências no mundo estão em crescendo. Até aos três anos, a idade em que, em Portugal, a maioria das crianças ingressa na Educação Pré-Escolar, elas começam a usar conscientemente o corpo, pois o controlo motor desenvolve-se constante e rapidamente, sob o controlo do córtex cerebral.

A partir dos 3 anos, a criança está preparada para um desenvolvimento motor da cabeça aos pés, de dentro para fora e do simples ao complexo. O ser humano não nasce com o seu aparelho motor totalmente desenvolvido nem possui a totalidade das suas capacidades. Basta pensarmos que nascemos sem duas capacidades motoras que nos são características e que são adquiridas ao longo dos anos: agarrar objetos com as mãos e andar de forma bípede.

Por isso, quando pensamos n’ O Brincar e o Exterior a primeira pergunta que se nos coloca é, seguramente, o porquê da rua.

O nosso âmbito de ação é a Educação Escolar e seguindo uma linha socrática, procuraremos responder à questão “porquê a rua?”, colocando uma outra pergunta: o que aprende a criança na rua?

A Psicologia tem vindo a demonstrar que o contacto com a natureza é essencial, contribuindo para o desenvolvimento pleno da criança em diversos âmbitos que incluem o aspeto físico e que vão mais além. Para além do contacto com a natureza, sair à rua possibilita uma relação com a comunidade, tão importante para o desenvolvimento humano. Afinal, como têm afirmado diversos autores, pelo menos desde Aristóteles, o Homem é um animal social.

  • Compreender a importância do desenvolvimento de atividades educativas (sobretudo de âmbito lúdico) no exterior da sala de atividade;
  • Conhecer a fundamentação teórica e a organização prática da investigação científica sobre a o Brincar, a valorização do espaço exterior e a natureza;
  • Conhecer as propostas consubstanciadas no documento; Orientações Curriculares Para a Educação Pré-Escolar” (Silva, I. L, 2016), que oferece contínuas referências à dinamização e aproveitamento do espaço exterior à sala de atividade;
  • Desenvolver propostas curriculares e educativas capazes de envolver profissionais, crianças e famílias na reflexão sobre o espaço educativo, visando uma alteração fundamentada e refletida das práticas;
  • Saber planear, organizar, executar e avaliar o desenvolvimento de atividades no exterior da sala de atividades.

Henrique Santos

MÓDULO 1:

  • Noções gerais sobre organização e gestão do espaço educativo – Espaço, Tempo e Modo.
  • As Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar.
  • Sensibilização à realidade criança.
  • Família e relação com a escola.

 

MÓDULO 2:

  • Conceitos e práticas sobre o Brincar e o Exterior
  • Os tempos das crianças, a importância do brincar e as atividades lúdicas no exterior.
  • Cenários e plataformas de desenvolvimento lúdico.
  • Planeamento, realização e avaliação de materiais para atividade lúdica no exterior.

 

MÓDULO 3:

  • A avaliação das propostas no exterior.
  • Desenvolvimento curricular e pertinência educativa.
  • Observação e ação.
  • Registo e informação.
  • Desempenho do adulto cuidador.

Inscrição

Subscreva a nossa newsletter e fique a par de todas as novidades!

.